Veja quanto vale o m² nas cinco melhores cidades para se viver

23 de agosto de 2016

Por do sol na Avenida Beira Mar Norte. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. / 
Beira Mar Norte Avenue at sunset. Florianópolis, Santa Catarina, Brazil.

Entre as escolhidas, Florianópolis aparece em 3º lugar.

Na hora de comprar um imóvel, deve-se levar em consideração questões como preço, espaço, segurança e itens de lazer. Afinal de contas, esse é um passo importante e que exige um investimento alto. Portanto, a satisfação tem que ser plena. Coloque na lista acima a qualidade de vida. Você sabe quanto custa o preço do metro quadrado nas cinco melhores cidades para se viver do Brasil ?

De acordo com levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado em 2015, São Caetano do Sul, em São Paulo, foi eleita a melhor cidade para se viver no Brasil. A segunda é Águas de São Pedro, também em São Paulo, seguida de Florianópolis, em Santa Catarina. A capital do Espírito Santo, Vitória, aparece na quarta posição. Balneário Camboriú, em Santa Catarina, completa a lista das cinco melhores cidades para se viver no Brasil.

São Caetano do Sul registrou, em março deste ano, aumento de 3,61% no valor do metro quadrado nos últimos 12 meses, de acordo com o Índice FipeZap. O percentual foi bem abaixo da inflação, medida pelo IPCA, e que deve encerrar o período em 9,50%, segundo o Boletim Focus. Na variação mensal, a variação foi estável, em 0,04%. O valor do metro quadrado foi, em média, de R$ 5.889.

Entre os bairros mais valorizados de São Caetano do Sul, o valor do metro quadrado em Jardim São Caetano ficou acima da média da cidade e ficou em R$ 6.971, de acordo com o Índice FipeZap. Em dezembro de 2015, o metro quadrado valia R$ 6.753 no bairro.

Já Águas de São Pedro, também em São Paulo e segunda colocada no ranking, é conhecida pelas suas termas. De acordo com o Índice FipeZap, o preço do metro quadrado no bairro do Centro foi de R$ 3.158 em abril deste ano. Houve valorização em relação a dezembro, quando o valor era de R$ 2.959.

Para José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), as duas cidades paulistas que despontam na lista das melhores cidades para viver no país têm características semelhantes. “Ambas têm saneamento bem definido e não têm problema com desemprego e arrecadação. A qualidade de vida é boa”, ressaltou.

Florianópolis é a primeira cidade de Santa Catarina que aparece na lista dos melhores lugares para viver e terceira colocada geral. Lá, a valorização do imóvel foi positiva, já que o preço no metro quadrado apresentou, em março de 2016, alta no valor igual à inflação nos últimos 12 meses, de 9,50%. Na variação mensal, o índice ficou estável, em 0,66%, de acordo com o FipeZap. O preço do metro quadrado na cidade foi de R$ 6.460. No bairro do Campeche, em abril deste ano, o metro quadrado valia R$ 6.349, enquanto em dezembro de 2015, era de R$ 6.174.

Vitória aparece na quarta colocação da lista da ONU. Na capital do Espírito Santo, houve acréscimo de 4,97% no preço do metro quadrado nos últimos 12 meses e também apresentou variação estável no mês, de 0,49%. O valor do metro quadrado é de R$ 5.491. “Em Vitória existem poucas áreas de expansão e o cliente sempre busca primeiro por imóvel lá porque tem uma infraestrutura boa e, assim, cresce a demanda. Aí a tendência é aumentar o valor do metro quadrado porque há pouca área de expansão e uma demanda maior”, explica Sandro Carlesso, presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES).

Ele explica que os bairros de frente para o mar são os mais valorizados e procurados, como Mata da Praia, que tem o preço do metro quadrado de R$ 7.364, segundo o Índice FipeZap. “Mas existem outros bairros que não têm o valor tão alto, mas contam com uma boa infraestrutura, como Jardim Camburi e Jardim da Penha”, completa Sandro Carlesso. O metro quadrado no primeiro vale R$ 5.308 e no segundo, R$ 5.468.

Balneário Camboriú, em Santa Catarina, completa o ranking das melhores cidades para viver. “A cidade está situada no litoral e é voltada para o lazer e turismo, então os empresários não sofreram tanto com a crise. Mas claro que houve uma retração no mercado imobiliário e a demanda caiu um pouco, mas não ficou paralisada. Além disso, aqui se tem qualidade de vida e a vida pode ser melhor que em outras cidades brasileiras”, reforça Sérgio Luiz dos Santos, presidente Sindicato da Habitação de Santa Catarina sede Balneário Camboriú (Secovi-SC).

De acordo com pesquisa do Secovi-SC, em maio de 2016, o valor do metro quadrado para apartamentos de um dormitório foi de R$ 5.694, de dois dormitórios foi de R$ 5.733 e de três dormitórios foi de R$ 8.631. Segundo Sérgio Luiz dos Santos, Balneário Camboriú conta com 6,5 quilômetros de orla e o valor do metro quadrado nesta área pode chegar a custar entre R$ 8 mil e R$ 10 mil. “Pioneiros é outro bairro com bom valor no mercado e bastante procurado, com metro quadrado custando R$ 6.700. Já o bairro das Nações é o mais populoso e o metro quadrado custa R$ 5.300”, completa.

NOTÍCIAS


17 jun

Assembleia da Cooperativa de Construção de Edifícios Gaivotas Garden Beach – 2019